segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

A escola burra



A escola na minha época, anos 70 e 80, era burra. Hoje ela é menos burra. Explico.
A escola, na minha opinião, serve para nos instruir e nos dar conhecimentos diversos, em humanas, exatas e biológicas. Até aí está perfeito, ou quase, mas o problema é a forma como isso é passado.
Eu sempre fui uma pessoa questionadora e sempre quis saber o porque das coisas, e isso me trouxe algumas dificuldades na sala de aula.
Aula de física, exercício na lousa e a instrução do professor era "resolvam". Eu então perguntava - "Onde usaremos isso?" - e escutava desde "para tudo na vida" ou até "apenas faça se quiser passar de ano."
Isso me deixava bravo, desmotivado e desanimado com a escola. Eu sabia desde cedo que não seria engenheiro, etc, então pra que me aprofundar tanto em física?
Língua portuguesa, história, geografia, são materiais de conhecimento geral e servem para conhecermos nossa história e o planeta onde vivemos, é útil.
Aos 20 anos fiz um curso de mecânica de carros e então fiquei muito bom em exatas porque existia um propósito para usar todos aqueles cálculos e fórmulas. Se um professor me falasse algo do tipo "sabe quando você anda de carro com seus pais e o carro faz uma curva e seu corpo é empurrado levemente para o lado? Isso é força G. Vamos ver onde mais ela atua e porque isso acontece?" teria sido perfeito, divertido e ÚTIL.
Na minha opinião os professores tinham, e ainda tem, a única função de despejar conteúdo e só.
Hoje vejo que senti falta de matérias como nutrição, finanças, vendas e politica. Para citar algumas.
Mesmo na aula de educação física faltaram algumas coisas. Não que eu precisasse ou quisesse saber regras de todos os esportes, mas faltaram explicações de como tal exercício irá ajudar meu corpo, como aproveitar melhor um salto, etc. No final era só ir lá e jogar bola....tipo uma folga das aulas escritas, e eu nunca gostei de futebol.
Hoje a coisa está começando a mudar e melhorar. O colégio Porto Seguro de Valinhos, interior de São Paulo tem há anos um trabalho que chama "ponte de macarrão" onde os alunos tem que unir várias matérias e, em grupo, construir uma ponte onde, no dia do julgamento, serão colocados sacos de 1kg de café sobre a ponte até ver onde ela aguenta. Essa construção de ponte envolve física, matemática, química, história e geografia, trabalho em grupo, etc. Isso é aplicar matérias em algo útil, da vida real.
Acredito que a escola era burra e ainda seja bastante burra, tendo apenas uma leve melhora.

domingo, 20 de janeiro de 2019

Decisão


EU DECIDI:


Ser vegano. Pela minha saúde, pelos animais e pelo planeta.

Ser magro. Enjooei de ser gordo. Está me cansando muito e não é justo com meu corpo e minha vida.

Reativar o meu blog....e não contar pra ninguém que eu reativei. Será achado sem querer no Google.

Não avisar que reativei o blog e nem publicar "tem texto novo no blog" nas minhas redes sociais.

Escrever aqui de vez em quando para esvaziar a minha cabeça.

Escutar menos Heavy Metal e mais Reggae.

Desistir de tentar dar um jeito no meu cabelo. Máquina zero de hoje pra frente.

Não julgar as pessoas que são diferentes de mim ou pensam diferente. Cansa e cada um sabe o que é melhor.

Não provar nada pra ninguém. Vou viver pra mim e não para os outros.

Que vou ganhar muito dinheiro.

Engolir alguns sapos, ser mais paciente e compreensivo.

Passear mais com minha cachorra, Cacau.

Acordar todos os dias às 6 da manhã e dormir cedo.

Não beber mais álcool.

Não comer mais glúten.

Beber muita água.

Ser feliz.

Ser grato.

Voltar a ter boas conversas com Deus.

Questionar menos Deus.

Concordar mais com as pessoas para não entrar em discussão sem sentido.

Escutar muito mais do que falar.

Observar mais.

Sorrir mais.

Aprender algo novo todo dia.

Ser positivo e otimista.

Não me abalar com as derrotas.

Trabalhar duro sempre e não pensar sempre em quanto vou ganhar.

Esquecer as coisas ruins que aconteceram. Foram lições da vida, pronto.

Trabalhar para ser uma pessoa melhor a cada dia.